sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Celorico de Basto- your second home-

Depois de uma negociaçao com uma empresa Alemã que pretendia comprar alguns solares celoricences, para adaptar a uma função turistica. Está a ser lançada em Celorico uma estrategia de promoção internacional do concelho e dos seus solares (muitos deles abandonados). Apresentando-se como nº 1 em casas brasonadas (segredaram-me que é Ponte de Lima), e oferecendo-se como a segunda casa de investidores estrangeiros. De facto Celorico de Basto tem um enorme potencial a nivel patrimonial arquitectonico e paisagistico, mas que ainda nao está a ser devidamente explorado, e que foi até pouco tempo sempre esquecido por quem o devia promover, e é precisamente neste ponto que quero alertar as autoridades autarquicas, pois os solares é uma das coisas " tão Ricas" da nossa terra, e que deveriam merecer a atenção das mesmas, no que diz respeito á sua conservação.Pois agora esta-se a promover um patrimonio ja degradado, e que poderia dar asas a uma rede de actividades entre solares que de facto poderiam promover de uma forma muito eficaz a nossa terra. A minha sugestão: Deveriam organizar os solares numa rede de actividades de destaque, adequadas aos mesmos, uns como casas tematicas, outros como casas museu, outras como turismo de Habitaçao, ou com actividades culturais um pouco á imagem do que foi feito com a Biblioteca Municipal Marcelo Rebelo de Sousa, ou com serviços como os da Quinta do Prado, etc...tornando-os num ponto de interesse a nivel nacional e internacional, e de merecer roteiros turisticos pela nossa terra. Os solares tem neles gravada a história e o modus vivendi dos nossos antepassados, e estão rodeados por vegetação que criam lugares unicos que devem estar sempre abertos ao publico...

2 comentários:

antónio f. meirelles disse...

Acredito que seja ponte de lima que tenha mais solares, mas nao fazem falta , como em celorico cabeceiras, mondim, etcetra.
nós queremos é desenvolvimento, e porque nao construir um hotel em cabeceiras e celorico?
Chamava ca muitos mais turistas e desenvolvia muito mais os conselhos, vejam o mondim aguas hotel. assim sim?

Carvalho Leite disse...

caro antónio f. meirelles
so enunciei a questao do nº, porque parece-me que quem esta a publicitar esta-se a aproveitar de um estatuto que nao tem.Mas claro que estes solares nos fazem muita falta, mas nao no estado em que muitos deles estao.
quanto á questao do hotel,parece-me ser sempre uma boa hipotese para desenvolver algo,pois é com apostas cirurgicas deste tipo que se consegue desenvolver a nossa terra,e desde ja os parabens para o aguas hotel porque inovou no conceito de hotel,mas so apareceu por antecipaçao da barragem que irá criar ali perto um lago artificial muito apetecivel para novas visitas, que é preciso alojar.Colmatando este hotel uma necessidade de Celorico Cabeceiras e Mondim.
nao deixando assim ja espaço para celorico e cabeceiras e assim parece-me que nao fara sentido mais um empreendimento desta escala,a nao ser com um novo conceito, devendo-se pensar antes, na reabilitaçao dos solares e no turismo de habitaçao,organizado numa rede de oferta controlada e gerida de forma unica, ligada entre si, numa network (um grande hotel fragmentado pelas terras de Basto),conseguindo-se uma oferta diversificada e mais flexivel em qualidade/preço alargando-se a oferta a todos os bolsos.
outra questao é a da formaçao das pessoas a empregar nesses espaços, deveriam ser pessoas de Basto formados para terem na sua terra natal um "porto de abrigo".