sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Cabeceiras Pintada

Humildemente...
Este foi um dos primeiros trabalhos de interpretação que fiz de Cabeceiras de Basto.
Farto do ar rural e artesanal e pouco inovador que é dado a tudo que é digno de ser representado nesta terra e da forma como se olha para a mesma, dei um grito...
Entre as cores da hieraldica do concelho, da alusão ás freguesias e ao seu numero, do ar festivo e e da alegria do Estilo Barroco-Rocócó do Mosteiro, e umas fortes associações simbolicas e conceptuais de Cabeceiras ...nasceu "cabeceiras pintada".
Tentou-se pensar e interpretar o passado e o presente, e solta-los numa nova forma ou linguagem representativa , uma atitude até agora estranha em Cabeceiras, que eu saiba.
A forma como a cultura e a arte são "cantadas" nas Terras de Basto é esquesita, diria mesmo retrogada...
Vamos inovar, ou melhor destradicionalizar. Respeitar o passado não é ficar eternamente agarrado a este.

2 comentários:

Vítor Pimenta disse...

Bonito, devo confessar.

Carvalho Leite disse...

obrigado!
ha coisas no quadro que talvez merecessem explicaçoes mais detalhadas, no entanto nao as dou sem pedirem, poderia tornar o quadro banal, e a explicaçao muito pesada.
as pessoas cabeceirences que conhecem o quadro, manifestaram uma identidade total com o mesmo...
nao sei se como cabeceirence que é tambem se identifica com o mesmo.