quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Pensar Basto a longo prazo

Em que matriz se assenta o desenvolvimento das Terras de Basto?
Nos tempos que correm, em que vivemos num mundo Global, as regiões tentam manifestar as suas mais valias e estão em constante competição na atracção de investimento. Estratégias de Marketing Urbano, promovem as vilas, cidades e regiões, no intuito de atrair para a região o tão apetecível capital humano com conhecimento para transmitir , que faça desenvolver a região. É preciso atrair gente com conhecimento para as Terras de Basto, são estes que têm capacidade de inovar nas apostas e os que melhor conseguem traçar um futuro risonho para as nossas terras. Atrair estas pessoas, criando condições para elas se fixarem, para depois construir em conjunto com as autarquias a matriz estratégica que enquadre a leitura do caminho que o “território” deve seguir a longo prazo. É esse o papel da inteligência pensante( Intelligence Thinking) : organizar a articulação dos actores, conformar vontades estratégicas, focalizar níveis de aposta e equilibrar a inovação e a eficiência racional. Estamos perante um desafio aliciante, que dará á região uma imagem de maioridade.
"o importante não é dar o peixe, mas ensinar a pescar". Interessa fixar objectivos e pensar e solidificar a base na qual se deve assentar o desenvolvimento. Porque não a articulação entre os diferentes saberes, popular e erudito, criar regiões laboratórios vivos “living labs”, onde quem tem formação para investigar apoia o saber popular, e os populares tornam mais sólidas as investigações. Deve-se pensar uma região sempre a longo prazo, e tomar decisões que a lancem no futuro. "Roma e Pavia não se fizeram num dia".
.

2 comentários:

josé pereira disse...

parabens pelo blog...
As terras de basto precisam é de pensadores e nao de pessoal que passa a vida a criticar.
mas o nosso desenvolvimento continua a ser assente nos km de asfalto. nao ha quem nos valha.
continue

Carvalho Leite disse...

Obrigado.é de facto uma pena mas o exemplo vem de cima,e espero que depois da conclusao das vias, as pessoas tambem perecbam que estas nao eram as unicas culpadas pela falta de desenvolvimento, a ver vamos, eu estou esperançoso que tambem comecem a formar a nossa populaçao de forma séria, e repito , de forma séria, tentar mudar mentalidades, para que se pereceba que a formaçao é a chave do problema.Enquanto se juntar dinheiro e formaçao, nunca iremos saber aquilo que os formandos estao á procura, se do dinheiro ou se é da formação.