quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Apelo à criação de uma Escola Superior de Basto

Um pouco por todas as Terras de Basto, está implementada uma rede de ensino algo consolidada até ao ensino secundário havendo uma boa aposta na variante profissional que tem apostado e persistindo nas áreas que eventualmente dinamizem a produção e especificidades da região, e ainda uma grande aposta nas “novas oportunidades”. De certo modo a União Europeia tem-nos passado a mensagem que a aposta no conhecimento é o futuro, financiando a quase 100% pólos tecnológicos e centros de investigação. Os laboratórios vivos , ou Living Labs, são um dos exemplos que muitas terras tem adoptado como ferramenta de dinamização ou reabilitação dos territórios com as características que temos nas nossas terras. Ver exemplos por exemplo o eco living lab na chamusca. Em que apostam no desenvolvimento da vertente ecológica aplicada á industria , uma especificidade das sua terras, e uma aposta visionária. Uma vez que se estão a conceder estímulos neste sentido não será boa ideia aproveitar, para se desenvolver a vertente de investigação na nossa região? E mais, parece-me que temos possibilidade para começar-mos a pensar de forma séria numa instituição de Ensino Superior para as Terras de Basto, para desenvolver uma maior dinâmica na nossa terra e começar a formar gente na nossa terra. Se reparar-mos nos exemplos de Macedo de Cavaleiros, Ponte de Lima, Vila nova de Cerveira entre outros, percebemos facilmente que nem só os grandes centros têm capacidade para albergar uma Escola Superior ou um Politécnico, haja é apostas certas e criar oportunidades para que as mesmas aconteçam. O futuro passa pelo conhecimento.

2 comentários:

Paulo Vieira disse...

"O futuro passa pelo conhecimento." Sem dúvida só isso nos fará mais fortes na sociedade cada vez mais competitiva em que vivemos.
Porém uma Escola Superior em Basto na minha opinião, só faz sentido se olharmos as Terras de Basto como um só e no contexto actual parece-me ingénuo falarmos em Terras de Basto ou Região de Basto como um só pois os 4 concelhos de Basto estão mais vezes de costas voltadas que a falarem a uma só voz. Infelizmente para os habitantes de Basto os seus dirigentes não cooperam como seria certamente a vontade das pessoas que os elegeram. Não me parece que um projecto como uma Escola Superior em Basto deva ser promovido por um dos 4 concelhos isoladamente. Só uma acção conjunta pode trazer os frutos desejados. A região de Basto é pobre e muita desta pobreza deve-se aos politicos locais pois nunca foram capaz de reclamar para a região aquilo que lhe é devido. Veja-se a vergonha da Via do Tamega.

Carvalho Leite disse...

Bem haja caro Paulo Vieira

Este blog tem a finalidade, de promover e pensar Basto e não um dos seus concelhos.por isso canto tão efusivamente Basto. Porque acho que seria uma das soluções de base para desenvolver a região. A escola poderia ter sucesso se fosse bem desenvolvida e apostada por um concelho, mas seria mais difícil. Temos criar plataformas que os unam e mais que fisicamente como com a via do Tâmega, estarem unidos em objectivos. (De que me vale ter o caminho bom para um vizinho que nem sequer fala comigo, ou que tem objectivos distintos daqueles que eu quero.) A Escola superior poderia ser uma dessas plataformas, e a imagem daquilo que a escola profissional de Fermil fez aqui á uns anos atrás e me parece estar a perder, estando-se já a fragmentar em termos de cursos, tendo já dois a ser desenvolvidos em Cabeceiras.
A escola seria um projecto a conseguir a médio longo prazo, por isso era importante desenvolver as plataformas de ensino existentes para a tornarem possível.
Para esclarecer melhor o meu raciocínio peço-lhe também que leia o novo post.
Cumprimentos