quarta-feira, 24 de setembro de 2008

da globalização à aposta no conhecimento

O desenvolvimento tecnológico que caracteriza as últimas décadas de progresso económico das sociedades ocidentais transformou a cidade e regiões , outrora baseados na industria, em territórios da informação e do conhecimento. Fruto do desenvolvimento tecnológico e das redes de telecomunicações, a economia globalizou-se e o conceito de espaço alterou-se. As cidades e os territórios adquirem uma nova dimensão intangível com base nos indivíduos, nas novas tecnologias de informação e comunicação, na aprendizagem colectiva e cumulativa e na emergência duma nova economia baseada no conhecimento. Na actualidade, vivemos um novo paradigma para os territórios assente no conhecimento, na aprendizagem e nas novas tecnologias. As cidades e regiões enquadram-se numa lógica de competitividade à escala global, somente suportada pelas plataformas digitais. Assim, o sistema virtual de inovação/conhecimento tem o objectivo de facilitar as interacções entre os agentes de desenvolvimento no território, no espaço real. Da relação entre os sistemas de conhecimento real e virtual surge o conceito de território inteligente. Para este posicionamento é indispensável para as regiões a organização em rede das plataformas existentes, bibliotecas rede de ensino, e centros de inovação e desenvolvimento. Os territórios que tendem a ganhar competitividade têm que se posicionar e apostar em ferramentas e equipamentos que produzem conhecimento, senão estão fora de uma competitividade e cooperação a nível global… Este texto foi produzido com base num tema que venho a investigar cientificamente, para a produção de dissertação de mestrado cujo o tema é a "recuperação e revitalização das cidades e regiões apostando no conhecimento."
Minha gente ou este texto é um barrete, ou então há uma região que me parece estar a ficar fora do jogo…. vamos trabalhar para que não, as cidades e regiões sao construidas segundo directivas diferentes daquelas á 20 anos atrás. vamos construir basto a pensar no futuro abraçando o conhecimento...

2 comentários:

Marco Gomes disse...

Aí está uma pedra basilar na construção de uma sociedade melhor: o conhecimento.

Conhecer é questionar...

Carvalho Leite disse...

Uma pedra basilar que falta na nossa terra, e arriscaria mesmo pelo país, ainda não se nota uma aposta forte neste sentido, que faz com que as diferenças com o resto da Europa sejam cada vez maiores, ou então este conhecimento produzido não tem sido aproveitado em prol de um bom desenvolvimento.
Temos que investir nesta parte para deixarmos de ser meros servos de outros, e produzir com ideias. O caso da Irlanda pode-nos servir de lição.
Abraço